O Google está comprometido em promover a equidade racial para as comunidades negras. Veja como.

Como criar compilações Android

Siga estas instruções para começar a compilar para Android.

Configurar o ambiente

Inicialize o ambiente com o script envsetup.sh:

source build/envsetup.sh

ou

. build/envsetup.sh

Veja descrições de comandos relacionados no script em platform/build/envsetup.sh (link em inglês), incluindo lunch para escolher os dispositivos que você vai compilar e tapas para criar novos apps desagrupados, como o app de TV de referência.

Será necessário reemitir esse comando após cada repo sync para detectar as mudanças nesse script. Observe que a substituição de source por . (um único ponto) economiza alguns caracteres, e o formato curto é mais comumente usado na documentação.

O script envsetup.sh importa vários comandos que permitem trabalhar com o código-fonte do Android, incluindo os comandos usados neste exercício. Veja a seguir alguns exemplos de comandos importantes:

  • lunch: lunch product_name-build_variant seleciona product_name como o produto a ser criado e build_variant como a variante a ser criada, armazenando essas seleções no ambiente que será lido por invocações subsequentes de m e outros comandos parecidos.
  • m: executa builds do topo da árvore. Isso é útil porque você pode executar o make dentro de subdiretórios. Se você tiver a variável de ambiente TOP definida, ela será usada. Se você não tiver, o comando buscará a árvore no diretório atual para encontrar o topo dela. Você pode compilar toda a árvore de código-fonte executando m sem argumentos ou compilar destinos específicos definindo os nomes deles.
  • mma: compila todos os módulos no diretório atual e nas dependências.
  • mmma: compila todos os módulos nos diretórios fornecidos e as respectivas dependências.
  • croot: cd para o topo da árvore.

Para ver a lista completa dos comandos disponíveis, execute:

hmm

Escolher um destino

Escolha qual destino compilar com o lunch. A configuração exata pode ser passada como um argumento. Por exemplo, o comando a seguir se refere a uma versão completa para o emulador, com toda a depuração ativada:

lunch aosp_arm-eng

Se executado sem argumentos, lunch solicitará que você escolha um destino no menu. Consulte Como selecionar uma compilação do dispositivo para ver as configurações de compilação de todos os dispositivos existentes.

Todos os destinos da compilação assumem o formato BUILD-BUILDTYPE, em que BUILD é um codinome que se refere à combinação específica de recursos. O BUILDTYPE é um dos seguintes.

Tipo de compilação Uso
user Acesso limitado; adequado para produção
userdebug Como o user, mas com acesso root e capacidade de depuração; mais indicado para depuração
eng Configuração de desenvolvimento com outras ferramentas de depuração

O build userdebug precisa se comportar da mesma forma que a user, com a capacidade de ativar depuração adicional, que normalmente viola o modelo de segurança da plataforma. Isso faz com que userdebug seja uma boa versão para testes de usuários com maiores recursos de diagnóstico. Ao desenvolver com a versão userdebug, siga as diretrizes do userdebug.

A versão eng prioriza a produtividade de engenharia para engenheiros que trabalham na plataforma. Ela desativa várias otimizações usadas para fornecer uma boa experiência ao usuário. Fora isso, o build eng apresenta um comportamento semelhante ao das versões user e userdebug, para que os desenvolvedores de dispositivos possam ver como o código se comporta nesses ambientes.

Para ver mais informações sobre como criar e executar em hardwares reais, consulte Como executar versões.

Como compilar o código

Esta seção é um breve resumo para garantir que a configuração esteja concluída.

Crie tudo com m. m pode manipular tarefas paralelas com um argumento -jN. Se você não fornecer um argumento -j, o sistema de compilação selecionará automaticamente uma contagem de tarefas paralelas que julgar ser ideal para seu sistema.

m

Como explicado acima, você pode compilar módulos específicos em vez da imagem completa do dispositivo listando os nomes dos módulos na sua linha de comando m. Além disso, m oferece alguns pseudodestinos para fins especiais. Alguns exemplos:

  • droid: m droid é a compilação normal. Esse destino está aqui porque o destino padrão requer um nome.
  • all: m all compila tudo o que m droid faz, além de tudo que não tem a tag droid. O servidor de compilação o executa para garantir que tudo o que está na árvore e que tenha um arquivo Android.mk seja compilado.
  • clean: m clean exclui todos os arquivos de saída e intermediários para esta configuração. Ele é o mesmo que rm -rf out/.

Execute m help para ver o que outros pseudodestinos m oferecem.

Executar

Você pode executar seu build em um emulador ou armazená-la em flash em um dispositivo. Como você já selecionou o destino de compilação com lunch, é improvável que ele seja executado em um destino diferente daquele para o qual foi criado.

Como realizar uma atualização flash com fastboot

Para realizar uma atualização de um dispositivo, use fastboot, que precisa ser incluído no seu caminho após a compilação ser concluída. Consulte Como realizar uma atualização em um dispositivo para ver mais instruções.

Como emular um dispositivo Android

O emulador é adicionado ao seu caminho automaticamente pelo processo de criação. Para executá-lo, digite:

emulator

Como solucionar erros de criação comuns

Versão incorreta do Java

Caso você esteja tentando criar uma versão do Android que seja inconsistente com sua versão do Java, make cancelará a tentativa com uma mensagem como:

************************************************************
You are attempting to build with the incorrect version
of java.

Your version is: WRONG_VERSION.
The correct version is: RIGHT_VERSION.

Please follow the machine setup instructions at
    https://source.android.com/source/initializing.html
************************************************************

Estas são as prováveis causas e soluções:

Versão 3 do Python

O Repo foi projetado com uma funcionalidade específica do Python 2.x e é incompatível com o Python 3. Para usar o Repo, instale o Python 2.x:

apt-get install python

Sistema de arquivos indiferente a maiúsculas

Se você estiver criando em um sistema de arquivos HFS no macOS, poderá encontrar um erro como:

************************************************************
You are building on a case-insensitive filesystem.
Please move your source tree to a case-sensitive filesystem.
************************************************************

Siga as instruções em Como criar uma imagem de disco com diferenciação entre maiúsculas e minúsculas.

Sem permissão para USB

Na maioria dos sistemas Linux, por padrão, os usuários sem privilégios não podem acessar as portas USB. Se você encontrar um erro de permissão negada, siga as instruções em Como configurar o acesso por USB.

Se o [adb](adb.md) já estava em execução e não consegue se conectar ao dispositivo após a configuração dessas regras, você pode eliminá-lo com adb kill-server. Esse comando faz com que o adb seja reiniciado com a nova configuração.